Arquivo para fevereiro, 2009

Romanée-Conti, a revanche

Posted in Wine and booze on 28 fevereiro, 2009 by monikatz

Dois domingos atrás. Almoço na sogra. Dia especial: comemoração do aniversário da Anya e boas-vindas para minha pessoa ao núcleo familiar.

Robert, pai de Philippe, resolveu caprichar: uma garrafa magnum de Romanée-Conti Saint-Vivant 1981, presente de Philippe nos tempos de Prieuré Roch. Quase morri de emoção. Lei da compensação em ação, para apagar minha tristeza sobre a garrafa intragável da experiência anterior.

O vinho estava divino: límpido, cor rubi, delicado no nariz, mas com acidez perfeita e taninos sedosos. Nessas horas é que se entende por que DRC é DRC.

Na sequência, um vinho trazido pela minha cunhada: uma garrafa de vin jaune, o vinho dourado e oxidado que é produzido unicamente na região de Jura. Safra 1969. Lindo! Tanto que bebi até a garrafa acabar (e a trouxe embora, no meu repetitivo complexo de pobre).

Deus não dá asa a cobra II

Posted in Uncategorized on 28 fevereiro, 2009 by monikatz

Pois é, de volta de uma viagem de 5 dias pela Espanha. Onde comi e bebi quantidades pantagruélicas, fui a lugares como o restaurante de Santí Santamaria e o de Juan Roca, bebi finalmente o Viña Tondonia… Resultado final: passei a noite de ontem entre a cama e o banheiro, despejando pela boca todas as últimas coisas consumidas. Hoje passei o dia a suco, iogurte e chá.

Um dia eu aprendo.

Prometo colocar ainda amanhã os posts atrasados (nem contei dos dias em Paris na semana anterior).

Produtinhos alternativos

Posted in Go shopping on 21 fevereiro, 2009 by monikatz

aesopDays of (French,) Wine and Roses também tem dicas de consumo.

Ontem fui jantar no Baratin, em Paris (assunto pra outro post, que o bistrô merece).

Fui ao toilette (olha o Francês aplicado) e ao lavar as mãos me deparei com um sabonete líquido que me encantou. Aroma de laranja, vindo de uma embalagem que parecia de remédio e escrito em Francês e Inglês. Perguntei para o Philippe, o dono do Baratin, o que era aquilo. Ele contou que o pessoal da loja que vende o tal sabonete pediu para deixar dois volumes lá para as pessoas experimentarem. E que o dito cujo está fazendo sucesso, com todo mundo perguntando o que é, de onde vem e onde vende.

O sabonete é feito por uma marca australiana chamada Aèsop. Hoje de manhã, com Philippe à tiracolo, fui na loja, que ficava pertinho do nosso hotel, no 6éme arrondissement, perto de Saint-Germain-des-Prés. Os produtos são demais! Eles são definidos como “produtos de beleza alternativos”, com a filosofia de utilizar ingredientes vegetais e quantidades mínimas de elementos não-botânicos. Os aromas são ma-ra-vi-lho-sos e todo o conceito, dos ingredientes usados à apresentação dos produtos, é bem atraente e esperto.

“We advocate the use of our products as part of a balanced life that includes a healthy diet, sensible exercise, and a regular intake of good books.”

Adorei também os nomes extremamente inspirados (o sabonete para mãos se chama “Resurrection Aromatique Hand Wash”) e as frases. Toda embalagem, cartão, amostra, sacola tem uma quote, uma frase dita por uma personalidade. Como a que reproduzo abaixo:

“One cannot think well, love well, sleep well, if one has not dined well.”
Virginia Woolf

Saí de lá com um “Ginger Root Soap Slab” e um “Wild Lime Hair Polish”. Descrição deste último: “For holiday romances in the Caribbean or to impress your nearest and dearest at home, give lacklustre locks a boost with this liquid miracle. ”

Se joga!

Aesop Paris
20, rue Bonaparte
www.aesop.net.au
www.aesop-europe.com
Metro: Saint-Germain-des-Prés

Quote of the day

Posted in Aleatórias on 21 fevereiro, 2009 by monikatz

“Brains are an asset, if you hide them.”
Mae West

Músicas para dias cinzentos

Posted in Música para ouvir on 18 fevereiro, 2009 by monikatz

Nestes dias cinzas e (muito, muito, muito) friorentos daqui, tenho ouvido bastante o disco “Sad songs for dirty lovers” da banda The National. O vocalista tem uma voz linda, daquelas que embalam sonhos e desilusões.

Música predileta: “Cardinal Song”. Letra dolorida, vocais idem, perfeita para ouvir no trem a caminho de Dijon (e das aulas de Francês).

“Never look her in the eyes
Never tell the truth
If she knows your paper
You know she’ll have to burn you

Never tell the one you want that you do
Save it for the deathbed
When you know you kept her wanting you

And do everything she’d never do”

Um break

Posted in Uncategorized on 18 fevereiro, 2009 by monikatz
“They are not long, the weeping and the laughter,
Love and desire and hate;
I think they have no portion in us after
We pass the gate.
They are not long, the days of wine and roses:
Out of a misty dream
Our path emerges for a while, then closes
Within a dream. “

 “Vitae Summa Brevis Spem Nos Vetet Incohare Longam”, poema escrito pelo inglês Ernest Dowson

Vamos passear na floresta

Posted in Bourgogne est ici on 17 fevereiro, 2009 by monikatz

Sábado com full board: crianças em peso, uma verdadeira creche. E o que fazer para gastar a energia de dois gêmeos de cinco anos, cheios de amor pra dar?

Caminhada, claro!

Só que não estamos na padaria da esquina. Estamos na Côte d’Or, o que significa paisagens lindas, vilas medievais, vinhedos, ruínas, castelos…

Cenário da tarde feliz: as ruínas do castelo que pertencia ao Mosteiro de St. Vivant. O castelo foi destruído pelos franceses na guerra para anexar a Borgonha à França. Os monges foram responsáveis por cultivar e demarcar vinhedos como Romanée-Conti, La Tâche, Saint-Vivant e Richebourg. Lugar isolado, um tanto íngreme, com neve cobrindo parte do caminho e vistas magníficas ao redor.

Eu só ouvia comentários do tipo “Uau! La neige!… J’aime la neige…” e duas cabecinhas louras correndo…

Caminho suave

Caminho suave

Resultado final: duas cabecinhas louras roncando no banco de trás na volta.

Mais fotos aqui.