Arquivo para abril, 2009

Les Romanée Counteez

Posted in Bourgogne est ici, Música para ouvir, Wine and booze on 21 abril, 2009 by monikatz

romanee-counteezAndando linda, leve e faceira pelas ruas de Dijon, vi um cartaz de uma banda que me pareceu, no mínimo, sui generis. A dita se chama Romanée Counteez, o que faz sentido aqui no coração da Bourgonha.

O nome das figuras que a compõem fazem referência direta à Côte d’Or: Freddy Mercurey, Claude Vougeot, Jaco Passetougrain, Fernand Vergelesses, Gilbert Montagny e Rully Bully. Indies até a medula.

Eles têm site no MySpace e até video clip no You Tube. O que não falta é senso de humor.

Anúncios

Back to the tray

Posted in À francesa on 21 abril, 2009 by monikatz

bandejaoRetrocedi… Ou melhor, voltei aos tempos de universitária.

Depois de comer, detestar, rejeitar por anos e dar graças quando, ao fazer estágio, consegui trocá-lo por um carnê de ticket refeição, cá estou de volta ao velho bandeijão.

Descobri que, por ser estudante, eu tenho direito a comer no restaurante universitário da Université de Bourgogne, em Dijon. E lá vou eu uma vez por semana, no dia em que tenho 2 aulas, almoçar de bandeija, com direito às tias, à fruta de sobremesa, à salada de preparo duvidoso. Com alguns improvements: queijo (estamos na França!), mais de uma opção de “mistura” (carne, ave ou peixe, e com direito até a world food – culinária étnica), opção de pizza e batata frita para os anêmicos. Ah, e com direito a uns frascos “pump” gigantes de maionese, mostarda e ketchup. O que ficou faltando? Os sucos coloridos “Amarelo #1”, “Amarelo #2” e “Amarelo #3”, de sabores vagamente familiares, e o chá mate, que tínhamos no nosso bandex da USP São Carlos. Em Dijon, só água, ou coca vinda de uma vending machine.

Saudade do chá.

Extra, extra!

Posted in À francesa on 21 abril, 2009 by monikatz

Passei

Manchete de capa de uma revista local no estilo “Contigo”:

Jordi se vinga de seu pai

Mon Dieu! Como é isso? Obrigando o pai ouvir “Alison” pelo resto da vida?! Porque só assim pra se vingar propriamente por ter sido obrigado a lançar (mais) uma praga no mundo…

Meu presente de Páscoa

Posted in Wine and booze on 12 abril, 2009 by monikatz

Uma garrafa de Vosne Romanée Les Brulées de Henri Jayer, safra 1974. Meu primeiro Jayer, antigo produtor da Borgonha que se tornou famoso e emblemático ainda nos anos 70. Produção minúscula, não-intervencionista, algo à frente do seu tempo. Falecido em 2006, hoje suas garrafas, cada vez mais escassas, custam horrores nos cavistas especializados.

Sublime, aberto ontem mesmo. Só Philippe para encontrar essas coisas…

Da série “Notícias que não achávamos que leríamos algum dia”

Posted in Aleatórias on 9 abril, 2009 by monikatz

Da Folha de São Paulo de hoje:

Grife Daspu lança “putique” na internet

O que falta inventar, mon Dieu?

Pergunta para os universitários

Posted in Aleatórias on 9 abril, 2009 by monikatz

classificadosEstava vendo um jornal de classificados da Côte d’Or quando me deparei com o seguinte termo na seção de anúncios pessoais:

ECO GAY

Qu’est-ce que c’est? Uma certificação? Tipo um AB® (Agriculture Biologìque) ou um Label Rouge®? Alguém aí fora me explique, plisss.

Japan Pop Show

Posted in Lugares on 9 abril, 2009 by monikatz

Das viagens recentes, a que mais impressionou foi Japão. Pelas diferenças, esquisitices, manias e tudo o mais que faz do japonês, a me u ver, o ser mais sui generis do planeta.

Foram 10 dias de correria, de acordar de manhã, refazer malas, mudar de cidade, fazer palestra, degustação, almoço, jantar, muito vinho, muita comida e… FOTOS, FOTOS, FOTOS. Sim, japonês é chegado numa foto, mas foi-me tirada tanta foto na vida. E olha que eu só estava acompanhando o Philippe… Imagine dele, quantas fotos foram tiradas. Se for verdade o que certos povos acreditam, de que uma foto pode roubar a alma, o Philippe pode desistir de reencarnar.

Algumas japonices:

vaso

Vaso sanitário de última geração: imagine um vaso aquecido, com funções de lavagem das partes, bidet, acionamento automático da descarga. E que pode vir com ad-ins como flush sound (barulho de água corrente para os tímidos), regulagem do volume do som e mecanismo para eliminar os odores indesejáveis. Pois bem, é assim o vaso sanitário no Japão.

Pé torto: as mulheres a-do-ram um salto. E não é um saltinho, não: é salto-traveco, tamanho maxi, e às vezes aumentado por uma plataforma. O problema é que elas não sabem andar de salto, ou o pé é pequeno demais para a altura do salto. Resultado: muitas, MUITAS japas de pés pisando pra dentro e pernas completamente tortas. Algumas andam arrastando os pés. Muito esquisito.

Quero casar

Casamento: as japas são loucas por casar. E não é casar na esquina, não. É casamento superprodução. Resultado: todos os hotéis de porte têm uma infra reservada para as cerimônias, que incluem sala de descanso, salão de beleza, capela, salão de festas e até sala de fotos!

sashimi2Café da manhã: Imagine comer sashimi de lula e vieira cruas, ostras, sobá e misso shiro: eis um típico café-da-manhã japonês. Mesmo para uma pessoa que topa desafios gastronômicos e curte um peixe cru, como eu, é difícil.