Archive for the Wine and booze Category

Les Romanée Counteez

Posted in Bourgogne est ici, Música para ouvir, Wine and booze on 21 abril, 2009 by monikatz

romanee-counteezAndando linda, leve e faceira pelas ruas de Dijon, vi um cartaz de uma banda que me pareceu, no mínimo, sui generis. A dita se chama Romanée Counteez, o que faz sentido aqui no coração da Bourgonha.

O nome das figuras que a compõem fazem referência direta à Côte d’Or: Freddy Mercurey, Claude Vougeot, Jaco Passetougrain, Fernand Vergelesses, Gilbert Montagny e Rully Bully. Indies até a medula.

Eles têm site no MySpace e até video clip no You Tube. O que não falta é senso de humor.

Anúncios

Meu presente de Páscoa

Posted in Wine and booze on 12 abril, 2009 by monikatz

Uma garrafa de Vosne Romanée Les Brulées de Henri Jayer, safra 1974. Meu primeiro Jayer, antigo produtor da Borgonha que se tornou famoso e emblemático ainda nos anos 70. Produção minúscula, não-intervencionista, algo à frente do seu tempo. Falecido em 2006, hoje suas garrafas, cada vez mais escassas, custam horrores nos cavistas especializados.

Sublime, aberto ontem mesmo. Só Philippe para encontrar essas coisas…

Romanée-Conti, a revanche

Posted in Wine and booze on 28 fevereiro, 2009 by monikatz

Dois domingos atrás. Almoço na sogra. Dia especial: comemoração do aniversário da Anya e boas-vindas para minha pessoa ao núcleo familiar.

Robert, pai de Philippe, resolveu caprichar: uma garrafa magnum de Romanée-Conti Saint-Vivant 1981, presente de Philippe nos tempos de Prieuré Roch. Quase morri de emoção. Lei da compensação em ação, para apagar minha tristeza sobre a garrafa intragável da experiência anterior.

O vinho estava divino: límpido, cor rubi, delicado no nariz, mas com acidez perfeita e taninos sedosos. Nessas horas é que se entende por que DRC é DRC.

Na sequência, um vinho trazido pela minha cunhada: uma garrafa de vin jaune, o vinho dourado e oxidado que é produzido unicamente na região de Jura. Safra 1969. Lindo! Tanto que bebi até a garrafa acabar (e a trouxe embora, no meu repetitivo complexo de pobre).

Deus não dá asa a cobra

Posted in Wine and booze on 13 fevereiro, 2009 by monikatz

romanee-echezeauxTerça-feira era pra ser um dia assim, assim. Acordei com tudo virado… Ventania do lado de fora, uma tempestade daquelas. Acabou que não fui pra aula de Francês. No lugar, fui almoçar com Philippe e seu cliente japonês. Do almoço, surge a idéia de… por que não? beber um Romanée-Conti no centro da cidade.

Beaune é uma cidadezinha atípica. Meio que capital da Côte d’Or, região que responde pelos vinhos chamados Borgonha, ela é uma cidadezinha pequena mas cheia de coisas sui-generis. Como estamos falando de Côte d’Or, nada mais fácil do que encontrar uma loja de vinhos, ou cave, que venda garrafas antigas e de domaines que já não existem mais. Pois bem, foi para uma dessas que rumamos, com a idéia bêbada de beber um Romanée-Conti, o vinho borgonha mais emblemático, e caro.

Na cave Philippe escolheu um Échezeaux 1959. Rótulo carcomido, líquido denso pelo tempo. Abertura tensa, retirando uma rolha que poderia se desfazer caso não houvesse habilidade. Então… Decepção total: o vinho havia morrido. Ficamos todos com cara de tacho e acabamos bebendo um Nuits St. Georges 2005 feito pelo Philippe para compensar.

Não foi dessa vez…

Pelo menos trouxe a garrafa pra casa hahaha (coisa de pobre!!!).